Em formação

Como lidar com a perda de um animal de estimação: o dia em que meu cachorro morreu

Como lidar com a perda de um animal de estimação: o dia em que meu cachorro morreu


Leonard é um ex-professor e diretor que também é escritor nas últimas duas décadas. A escrita e os animais são seus verdadeiros amores.

Pimenta era minha melhor amiga

Todos nós temos momentos intensos em nossas vidas que deixam marcas que duram para sempre. Alguns são maravilhosos e fantásticos, enquanto outros são terríveis e medonhos. Sejam boas ou más, as memórias nunca deixam verdadeiramente nossas mentes.

Um momento que está congelado no tempo para mim é o dia em que meu primeiro cachorro, Pepper, morreu. Na verdade, isso aconteceu há mais de 30 anos, mas me lembro como se fosse ontem. Ainda está tão vívido e claro em meu cérebro.

Pepper foi minha melhor amiga no que só pode ser chamada de uma infância muito conturbada. Meu pai fugiu de nossa família quando eu era muito jovem. Isso deixou meu irmão, Pepper, e eu morando com minha mãe, que sempre trabalhava para sobreviver. É nessa teia emaranhada de pobreza e turbulência que Pepper e eu formamos um vínculo inquebrável. Ele era um cão pastor de Shetland afetuoso, leal e devotado. Onde quer que eu fosse, ele vinha. Para todos os efeitos, éramos virtualmente inseparáveis.

Então, um dia, do nada, meu pai voltou para casa em um esforço para se reconectar com meu irmão e eu. Demorou um pouco, mas depois de cerca de um mês, estávamos participando de visitas regulares. Em um fim de semana específico, ele decidiu nos levar com ele para a casa de seu amigo. Eu estava relutante em ir a qualquer lugar sem meu verdadeiro amigo, Pepper, e implorei e implorei para que ele pudesse ir também. Depois de muito importunar, meu pai concordou e Pepper nos acompanhou até a cabana.

Essa seria a última viagem que faríamos juntos. Logo após a nossa chegada, Pepper de alguma forma saltou pela porta aberta do nosso carro estacionado e saiu correndo atrás de um coelho em fuga. Ele perseguiu o coelho direto para a rodovia, onde os dois foram atropelados e mortos por um caminhão. Esse foi o dia em que meu cachorro morreu.

A tristeza que senti depois da perda de Pepper foi extrema. Eu estava totalmente inconsolável. Eu carreguei essa culpa e dor comigo por anos e nem mesmo considerava a ideia de comprar outro cachorro. Eu vi essa perspectiva como um ato de traição final. No entanto, quando finalmente aprendi como lidar com a perda de Pepper, fui mais uma vez capaz de desfrutar de ter animais de estimação em minha vida novamente.

É muito triste perder o seu querido animal de estimação, mas essa dor só se intensifica se você nunca for capaz de amar outro. Decidi escrever este artigo na esperança de que ele ajude outros donos de animais a administrar seu luto de maneira saudável. Abaixo, discuto o que descobri serem as nove estratégias mais eficazes para lidar com a perda de um animal de estimação querido. Com o tempo, aderir a essas nove estratégias tornou a vida melhor para mim e para meus cães adotivos, e minha esperança é que elas também ajudem outras pessoas.

1. Reconheça que o luto não segue uma programação

Existem muitas teorias diferentes a respeito de como as pessoas vivenciam o luto. Um dos mais populares é do livro Sobre luto e luto, pela psiquiatra Elizabeth Kubler-Ross e David Kessler. Nele, eles afirmam que os cinco estágios do luto são negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. Quando penso na morte de meu cachorro Pepper, passei por esses cinco estágios, mas também tive outras emoções e estágios. Além disso, eles realmente não caíram em nenhuma ordem "definida". É muito importante lembrar que cada pessoa sofre de uma forma diferente e de acordo com suas próprias experiências.

Embora eu certamente tenha passado pelo processo de luto, meus sentimentos e emoções mudavam diariamente e em um movimento de vaivém. Justamente quando pensei que tinha começado a aceitar a morte, fui atingido por ondas de raiva, culpa e depressão. Não houve qualquer tipo de progressão limpa e ordenada. Aprendi que o luto não segue nenhum tipo de programação pré-determinada. Também descobri que ser capaz de enfrentar significava entender que era bom sentir como eu precisava naquele momento.

2. Saiba que não há problema em chorar

Para aceitar a perda de seu animal de estimação, primeiro você terá que se permitir o luto. Embora possa parecer um pouco óbvio no início, é muito difícil de fazer. De acordo com a treinadora do luto, Dora Carpenter, nossa sociedade é tipicamente um ambiente de ritmo acelerado que não tem muita paciência para um longo processo de luto. Espera-se que superemos isso rapidamente e sigamos em frente.

Quando consideramos que perdemos algo que amamos muito, tais expectativas são ridículas. Em vez de se sentir mal ou culpado por estar de luto pelo seu animal de estimação, tente entender que isso é uma parte necessária da cura. Todo esse processo provavelmente será acompanhado por muitas lágrimas. Isso também está perfeitamente correto e é uma parte muito necessária do processo.

Na verdade, em um estudo conduzido pelo pesquisador William Frey, descobriu-se que as lágrimas emocionais continham substâncias tóxicas que se acumulavam durante o estresse emocional. O choro, por sua vez, é um processo benéfico que remove as toxinas do corpo. Em outras palavras, chorar faz a pessoa se sentir muito melhor. Considerando tudo isso, dar-se permissão para lamentar e chorar é uma estratégia-chave de enfrentamento ao lidar com a morte de um animal de estimação.

3. Encontre suporte significativo

Tão certo como o sol nascerá amanhã, você encontrará pessoas que minimizarão sua perda. Comentários infelizes como: "Era apenas um animal de estimação, você pode conseguir um novo", serão feitos na tentativa de fazer você se sentir "melhor". No meu caso, a frase favorita de meu pai foi me dizer que poderia ter sido muito pior e eu tive sorte que alguém além do meu cachorro não se machucou.

Acredite ou não, essas pessoas estão, na verdade, tentando ajudar à sua maneira. No entanto, o que eles estão realmente fazendo é minimizar sua perda dolorosa e tornar a situação muito pior. Eles não poderiam entender o vínculo que você tinha com seu animal de estimação. É melhor evitar essas pessoas até que você esteja emocionalmente melhor.

Isso não significa que você deve evitar todos, no entanto. Há uma série de pessoas e grupos de apoio que serão compreensivos e lhe darão um ouvido com empatia e simpatia para expressar sua tristeza. Companheiros amantes de animais de estimação, veterinários, conselheiros de luto e grupos de apoio à perda de animais de estimação são lugares maravilhosos para se virar. Os seguintes livros e sites de suporte são excelentes recursos para ajudá-lo a aprender a lidar com a perda de um animal de estimação:

Livros

  • Lamentando a morte de um animal de estimação, por B.J. Carmack
  • Dizendo adeus ao animal de estimação que você ama, por L.A. Green e J. Landis
  • How to Roar: Pet Loss Grief Recovery, por Robin Jean Brown
  • A perda de um animal de estimação, por Wallace Sife
  • Quando um animal de estimação morre: um guia para lidar com a perda de crianças, por Joann Tuzeo-Jarolmen

Suporte a sites e linhas diretas

  • The Animal Love and Loss Network (no Facebook)
  • ASPCA National Pet Loss Helpline (1-877-474-3310)
  • Ponte de Arco-Íris
  • The Humane Society of the United States (informações sobre como lidar com a perda de um animal de estimação)
  • The Association for Pet Loss and Luto (associação sem fins lucrativos dedicada a ajudar as pessoas a lidar com a perda de um animal de estimação)

4. Memorialize seu animal de estimação

Um dos métodos mais valiosos para lidar com a perda de um animal de estimação é planejar um memorial. Isso pode assumir várias formas, como:

  • Planejando um funeral ou serviço memorial
  • Enterrando as cinzas do seu animal de estimação debaixo de uma árvore recém-plantada em sua homenagem
  • Criação de uma placa em memória de seu amado animal de estimação, que é colocada em seu local de descanso final
  • Doe em nome do seu animal de estimação para organizações que ajudam animais
  • Faça uma apresentação de slides dos seus momentos favoritos com o seu animal de estimação

Seja qual for o caso, o memorial é uma oportunidade de chegar a um acordo com sua perda. Essencialmente, vai forçá-lo a enfrentar a perda e iniciar o processo de luto muito importante. Também permitirá que você reviva muitas das grandes memórias que teve com seu animal de estimação. Além disso, você será capaz de se conectar com outras pessoas que entendem sua perda e podem fornecer a rede de suporte de que você precisa. Por último, honrará a vida do seu animal de estimação e será uma homenagem eterna à sua vida.

Nosso objetivo não é esquecer sobre nosso animal de estimação. é aprender como lidar com perdê-los. Na minha situação pessoal, quando Pepper morreu, nada disso ocorreu. Nunca houve qualquer celebração da vida ou qualquer tipo de encerramento. Ele simplesmente se foi. Isso deixou um buraco vazio em meu coração que levou muito tempo e esforço deliberado para consertar.

5. Cuide de si mesmo

Ao considerar o luto, muitas pessoas o veem como um momento triste e trágico. Embora isso seja certamente verdade, também é muito mais do que isso. O luto é, na verdade, um processo exaustivo que tem um grande impacto emocional, mental e físico em uma pessoa. É preciso muita energia para sofrer.

Infelizmente, as pessoas que estão passando por essa turbulência emocional tendem a não cuidar muito bem de si mesmas. Falta de sono, hábitos alimentares inadequados, sistema imunológico enfraquecido e poucos exercícios são típicos ao lamentar a perda de seu amado animal de estimação. No entanto, para lidar adequadamente com essa perda, é de vital importância reverter essa tendência doentia e cuidar bem de si mesmo.

Por exemplo, comer alimentos nutritivos pode fornecer vitaminas e minerais essenciais que irão ajudar sua saúde física e melhorar seu humor ao mesmo tempo. A boa qualidade do sono também é vital para o autocuidado e tem um grande impacto na melhora da estabilidade emocional e do humor. Por último, o exercício produz endorfinas analgésicas no corpo que, por sua vez, melhoram o humor e a sensação de bem-estar.

6. Planeje com antecedência para os gatilhos

Uma das coisas mais difíceis de lidar quando estava lidando com a morte de meu cachorro Pepper eram os constantes lembretes dele. Éramos inseparáveis ​​e fazíamos tudo juntos e, como tal, eu me lembrava dele e de nosso tempo juntos todos os dias. Algo tão simples como caminhar pelo corredor de rações no supermercado, ou passar por nosso parque favorito, traria uma onda de emoções e tristeza. Na verdade, eu estava constantemente encontrando coisas que desencadeariam minha dor de forma negativa. Foi só quando reconheci e planejei com antecedência esses gatilhos inevitáveis ​​que fui realmente capaz de reverter essa tendência negativa.

Essencialmente, os gatilhos constantes estavam despertando a dor dentro de mim. Eu me lembraria imediatamente de Pepper, e mais importante. o dia em que ele morreu. Quando fui desencadeado, não me lembrava dos momentos incríveis que passamos juntos. Eu estava totalmente obcecado pelo dia em que ele morreu. Com o passar do tempo, comecei a aceitar que sempre haveria gatilhos e comecei a me preparar para eles. Eles não podiam simplesmente ser evitados.

Lentamente, comecei a transformar o negativo em positivo. Eu forçaria aquele dia terrível para fora da minha cabeça e deliberadamente me lembraria dos momentos divertidos e amorosos que passamos juntos. Desta forma, as memórias desencadeadas passaram a ser agradáveis ​​e alegres. Não foi um processo fácil e houve contratempos. No entanto, foi um dos mecanismos de enfrentamento mais poderosos que consegui empregar. Em vez de chorar quando disparado, costumava sorrir. Para se preparar adequadamente e planejar com antecedência para os gatilhos, a seguir estão algumas etapas úteis:

  • Esteja sempre preparado: Perceba e reconheça que os gatilhos inevitáveis ​​estarão em toda parte
  • Foco no positivo: Lembre-se dos bons momentos que você teve com seu animal de estimação quando suas memórias são acionadas. Tente se lembrar de rir e brincar.
  • Empregue técnicas de distração: Às vezes, uma memória ou gatilho será simplesmente muito bruto e poderoso (como um aniversário de cachorro). Use uma técnica de distração, como reunir-se com amigos para passar o dia.
  • Reconheça várias emoções: Você encontrará uma série de emoções ao aprender a aceitar e planejar com antecedência os gatilhos. Você pode estar rindo e chorando ao mesmo tempo!
  • Seja fácil consigo mesmo: Tudo leva tempo e haverá lutas. Seja bonzinho consigo mesmo e siga em frente no seu próprio ritmo.

7. Seja gentil com os outros

Pode haver poucas dúvidas de que ser paciente e gentil consigo mesmo é uma parte essencial para lidar com a dor que acompanha a perda de um animal de estimação. Curiosamente, ser bom e gentil com os outros também o ajudará muito. Existem várias maneiras simples, mas eficazes, de sermos gentis com os outros. Alguns exemplos típicos são:

  • Mostrando um interesse genuíno por eles.
  • Sorrindo e sendo educado.
  • Ajudando nas tarefas diárias.
  • Oferecendo seu tempo para ajudar uma causa nobre.
  • Doando para importantes organizações de resgate de animais.

Embora todos esses métodos ajudem outras pessoas, eles também são ótimas maneiras de lidar com a perda de um animal de estimação. Por exemplo, eles vão nos distrair da tristeza e dor que estamos experimentando. Mesmo essas distrações fugazes são muito apreciadas. Além disso, a gentileza melhora muito a maneira como nos sentimos física, mental e emocionalmente. Quando somos gentis, uma série de substâncias químicas calmantes e redutoras do estresse, como a serotonina e a oxitocina, são liberadas no corpo. Por sua vez, tudo isso funciona em conjunto para fazer com que o indivíduo se sinta menos ansioso, mais feliz e mais relaxado. Ser gentil com os outros é uma excelente maneira de lidar com a perda de um animal de estimação. A bondade também beneficia a nós mesmos e aos outros!

8. Manter uma rotina

A capacidade de manter uma rotina consistente em sua vida pode ser uma maneira muito útil de ajudar a lidar com a perda de um animal de estimação. Fornecerá propósito e estrutura à sua vida e o distrairá da tristeza avassaladora. Voltar às suas rotinas, hobbies e atividades habituais trará um novo nível de felicidade e prazer para o que, de outra forma, poderia ser uma época insuportável.

Além disso, você pode ser responsável por outros animais de estimação e este é um fator importante que não deve ser esquecido. Se for esse o caso, eles também precisarão de estrutura e rotinas consistentes. Assim como você, é muito provável que seus outros animais de estimação também estejam de luto pela perda. Ao voltar às rotinas e horários, você estará ajudando a eles e a si mesmo a lidar com a perda do seu animal de estimação.

9. Considere o planejamento de um novo animal de estimação

Nosso método final para lidar com a perda de um animal de estimação é um tanto controverso. Muitas pessoas começarão a planejar ter um novo animal de estimação para ajudar a facilitar a passagem do animal que partiu. No entanto, é importante notar que se trata de algo de natureza muito pessoal e que cada pessoa terá uma abordagem diferente. Algumas pessoas vão querer fazer isso imediatamente, enquanto outras vão esperar anos ou não têm nenhum interesse em adquirir um novo animal de estimação.

É importante que se alguém faz decidir planejar um novo animal de estimação, que eles estão claramente prontos para isso e não apenas como uma "reação de rebote" virtual. Isso não seria justo para a memória de seu animal de estimação falecido, e certamente não para o novo animal. Quando e se você estiver pronto para começar a planejar um novo animal de estimação, é muito provável que saiba. Deve haver um sentimento de paz dentro de você. Ainda tristeza, sim, mas também paz. Isso não apenas ajudará você no processo de luto, mas também ajudará outro animal. São inúmeros os animais que precisam ser adotados para um bom lar. Você pode fazer isso acontecer para eles enquanto continua a lidar com a perda de seu animal de estimação.

As coisas melhoram com o tempo

A perda do seu animal de estimação pode ser um momento incrivelmente triste e desafiador. Minha opinião pessoal é que a perda do meu primeiro cachorro foi um dos momentos mais difíceis da minha vida. Eu mal consegui funcionar por um longo período de tempo. Foi tão devastador! No entanto, acabei aprendendo como lidar com a perda de meu animal de estimação.

Certamente não foi uma experiência fácil. Houve muitos altos e baixos enquanto eu tentava descobrir tudo sozinho. Isso foi há 30 anos e as memórias ainda estão frescas em minha mente. No entanto, a diferença é que agora me lembro dos bons momentos com um sorriso no rosto.

No entanto, ao escrever este artigo, muitas vezes tive que olhar as palavras enquanto minha visão estava turva pelas lágrimas. Isso produziu uma série de emoções dentro de mim enquanto eu virtualmente revivia o passado. Minha esperança genuína continua sendo de que minha própria experiência ajude outras pessoas a aprender como lidar com a perda de um animal de estimação. Se isso foi alcançado, então valeu a pena.

Recursos

  1. Sobre luto e luto. Elisabeth Kubler-Ross M.D. e David Kessler. 2014.
  2. "Dê a si mesmo permissão para sofrer." Dora Carpenter. Artigos do Ezine. 2017
  3. "O Milagre das Lágrimas." Jeremy Bergman. 1993.
  4. "Dez maneiras de lidar com a perda de seu animal de estimação." Cedarview Animal Hospital, Ottawa.
  5. "Três benefícios dos tributos memoriais." Beth Jackson. Tributos a Beryl Martin. 2015
  6. "Cérebro feliz, vida feliz." Susan Reynolds. Psychology Today. 2011.
  7. "O que é Bondade?" The Positive Psychopedia.
  8. "5 maneiras de lidar com a morte de um animal de estimação." Aleisha Fetters. Revista de prevenção. 2012.
  9. "Dez dicas para lidar com a perda de animais de estimação." Moira Anderson Allen, M.Ed. A página de apoio à perda de animais de estimação.

JY em 27 de agosto de 2020:

Perdi meus 2 franceses, 1,5 anos e 9,5 meses em 25-08-2020.

Estavam embarcando e o zelador se distraiu e esqueceu-se deles e os deixou trancados no carro com o motor desligado.

Quando cheguei ao veterinário, já estava olhando para seus corpos frios, úmidos e rígidos.

Senti uma dor tão intensa, é indescritível.

Hoje, eles voltaram para casa em sua urna. Eles eram meio-irmãos adoráveis ​​que compartilhavam o mesmo pai, e agora, eles ficarão para sempre juntos. O único consolo é que eles não saíram sozinhos, toda a dor e o medo que sentiram no último momento de suas vidas acabaram.

Espero que eles estejam na ponte do arco-íris, esperando para cruzar e que tenham um grande lugar para correr, muitos amigos para brincar e muitas guloseimas para comer. Não há mais horas de banho, não há mais restrição alimentar, não há mais dor, não há mais medo, não há mais solidão.

Eu amo meus meninos .. Para sempre.

Sasha Sawyer em 21 de agosto de 2020:

Perdi meu cachorro de 9,5 anos esta manhã. Ele era um vira-lata que eu resgatei, mas aconteceu de tal forma que outro cachorro meu ficou amigo dele na estrada e o trouxe para casa. Ele viveu comigo desde então. Os cães vadios são fortes e não apresentam nenhum sintoma até que estejam realmente muito doentes, que foi o que aconteceu com ele. Ele adoeceu há cerca de 1,5 mês e descobrimos que era insuficiência renal. Apesar do prognóstico sombrio, ele sobreviveu e comia todas as refeições, embora andasse mais devagar. Nas últimas 24 horas seu estado piorou, mas estou grato que o sofrimento não se prolongou. Estou chorando hoje, estou com saudades dele!

Paulyn em 06 de agosto de 2020:

Meu filho e eu perdemos nosso Basset Hound, Kester, hoje. Não tenho palavras para descrever o quão devastados estamos. Kester tinha quase 10. Ele era tão adorável, doce e pegajoso - ele nunca quis ficar sozinho. Ele foi diagnosticado com câncer (linfoma) após uma biópsia e alguns sinais óbvios como bochechas, garganta e orelhas inchadas, apenas alguns dias atrás. Ele ficou mais fraco no veterinário, mas tentava se levantar quando nos via. Nós o trouxemos para casa por uma noite pensando que poderíamos cuidar dele. Mas ele precisava de medicação, então ele estava de volta ao veterinário. Pudemos ver que ele estava com dor, mas ele tentou se levantar quando nos viu, apenas para desmaiar e gemer. Nós concordamos em colocá-lo para dormir. Era mais para concordar em acabar com sua dor. Vimos todo o processo até segurá-lo até seu último suspiro. Oh, nós te amamos muito, baby. Vá brincar com os anjos no céu. Você saiu com metade de todo o meu ser. Eu nunca estarei completo e inteiro novamente. Sentindo tanto sua falta agora.

Michael M. em 22 de julho de 2020:

Em primeiro lugar, ao autor deste artigo, obrigado por suas palavras. Em segundo lugar, para meus colegas comentaristas, acredite em mim, eu sinto sua dor. Hoje colocamos de lado meu melhor amigo de 8 anos, Gus the Boxer. Nunca conheci um ser mais atencioso, inteligente e fiel e sua perda me quebrou completamente. Espero que todos vocês possam encontrar paz.

Alex em 02 de julho de 2020:

Perdi meu amigo ontem à noite. Ele era o cachorro da minha esposa e ela também estava sofrendo, mas ele também era meu cachorro e me trouxe uma felicidade incomensurável. Agradeço a Deus que o tempo em que ele não conseguiu mais andar e faleceu foi de apenas dois dias. Cuidamos dele com mais intensidade e diligência durante esse tempo e o colocamos em nossa cama, seu lugar feliz para estar confortável e morrer. Ele passou cercado de amigos e familiares, acariciando-o, lambendo-o (outros animais de estimação) e conversando com ele. Apenas o cachorro perfeito.

Saudades muito de você Winston

AlexandraEnglish em 29 de junho de 2020:

Perdemos nosso lindo menino ‘Monty’ no domingo, não posso acreditar. Ele estava correndo pelos campos e pulando no rio há oito dias. Eu sinto falta dele desesperadamente, ele era meu amigo, meu lindo garoto. Eu o amei tanto.

Vlad em 03 de junho de 2020:

Em primeiro lugar, sinto muito pela perda de todos :( Eu perdi meu cachorro hoje, ou devo dizer um membro da família, ela estava prestes a fazer 16 anos (anos humanos) no próximo mês. Eu sinto muito a falta dela e eu não consigo parar de chorar. A dor vai passar? Eu daria qualquer coisa para tê-la novamente, e pelo menos mais alguns anos :(

TiYo em 03 de junho de 2020:

Perdemos Odie no domingo. Odie era um cachorro incrível. Ele nos amou tanto meu e nós realmente sentimos muito a falta dele. Já se passaram três dias e está horrível sem ele. Nós o amamos tanto que é difícil não imaginá-lo por perto.

MWT em 25 de abril de 2020:

Hoje perdi minha melhor amiga Islândia. Estou arrasado e totalmente sem noção do que o matou. Ele era o de sempre brincalhão, alegre e ativo três dias atrás. No entanto, ontem ele começou a se isolar, recusou-se a comer, vomitar com um pouco de sangue. Imediatamente, levei-o ao veterinário e o hospitalizei. Hoje de manhã só fui ao veterinário para animá-lo e ele está dando alguns sinais positivos de que está bebendo um pouco de água. Logo depois à tarde recebi uma mensagem do veterinário dizendo que a Islândia está vomitando muito sangue e teve uma convulsão. Eu sei a partir daquele momento, no fundo do meu coração, ele vai nos deixar. Eu chorei todo o caminho até o veterinário para ver se ele tinha ido embora. Fiquei confuso agora como vou viver mais um dia sem seu companheiro ...

Dan em 12 de abril de 2020:

Perdemos Sydney na sexta à noite. Ela tinha apenas 4 meses, mas a alegria que ela trouxe para esta família foi maravilhosa. Ela era uma maravilhosa heeler azul! Ela era uma cadela inteligente e maravilhosa. Ela é profundamente sentida. Infelizmente, o veterinário não conseguiu salvá-la. Ela sofria de um problema desconhecido que encerrou sua vida prematuramente. Ela é tão amada e sentida. Procuro consolo em saber que ela fará com que todos no céu sejam tão felizes quanto fez minha família. RIP Sydney, você foi uma parte muito especial desta família!

cody8466 em 19 de março de 2020:

Perdi minha doce Trixie na segunda de manhã. Tudo isso foi uma surpresa. Ela tinha 12 anos e, sim, algumas doenças, olhos ruins e articulações rígidas, mas eu sabia que tinha pelo menos mais alguns anos com ela. Tudo começou no domingo, ela não estava comendo ou bebendo água e se movendo um pouco mais devagar, mas eu já tinha visto isso antes, então não fiquei muito preocupado. Domingo à noite ela parecia um pouco pior, então eu disse que irei levá-lo ao veterinário na segunda de manhã. Bem, na segunda de manhã ela estava pior, o veterinário a manteve durante a noite, mas ela não melhorou, então ela aconselhou a deixá-la ir. Ela mal conseguia manter a cabeça erguida e sem andar, então eu sei que escolhi fazer a coisa certa, mas me sinto tão culpada. Todos os meus animais de estimação antes dela faleceram por conta própria e eu jurei que nunca deixaria um veterinário tirar meu cachorro de sua miséria, mas eu deixei e sei que era a coisa certa a fazer. Tudo que posso fazer é chorar e me sentir tão culpada. Tenho tantas saudades dela. Eu só fico pensando que isso não aconteceu, mas eu olho em volta e percebo que é verdade. Por mais que seu ronco tivesse ficado tão alto, eu daria qualquer coisa para ouvir aquele lindo ronco esta noite. Ela foi a mais doce e espero que saiba o quanto eu a amava. Obrigado

bengy meu bebê em 27 de fevereiro de 2020:

Olá, perdi recentemente o meu cão, ele acabou de fazer 2. Ele foi o meu primeiro cão, toda a minha vida ive sempre quis ter um, estava tão feliz com ele, ele estava literalmente sempre comigo e sempre que eu estava chateado ou comecei a chorar ele iria Lambe minhas lágrimas e me faça rir de todas as maneiras. Infelizmente, Bengy morreu em um acidente de carro 5 dias atrás, eu estava levando-o para passear, como de costume, mas o fato é que Bengy costuma latir ou pular em estranhos, ele era muito protetor comigo, outra coisa que ele faria era perseguir motos e carros, então eu sempre tinha que segurar bem a guia sempre que um carro passava. Porém cheguei tarde no dia 21 de fevereiro às 14h00, aconteceu tão rápido que fiquei em choque que não consegui reagir rápido e caí no chão, o homem ou a mulher que conduzia não parava, o carro atingiu o pescoço e houve sangue em todos os lugares quando eu finalmente reagi, eu o peguei, mas tudo o que vi foi sangue e então comecei a gritar e chorar sem parar Eu não sabia o que fazer porque eu tinha esquecido meu telefone em casa, porém estava a 2 minutos de minha casa. De repente, um homem andando na estrada viu o que tinha acontecido e veio em meu socorro me disse para me acalmar e chamar minha mãe, fui para casa e liguei para minha mãe depois voltei correndo, mas era tarde demais. Naquele dia eu não conseguia parar de chorar, cheguei ao ponto em que minha voz sumiu depois de gritar o dia todo, mas eu não conseguia parar, meus olhos estavam inchados, e a primeira noite foi uma das noites mais difíceis que já experimentei enquanto estava acostumada a ter meu cachorro dormindo comigo à noite. A única maneira de eu conseguir dormir agora é ter seus brinquedos ao meu redor, já que seus cheiros me lembram dele e me permitem me acalmar, mas também não consigo dormir no meu quarto porque tenho muitas lembranças. dele, então no momento estou dormindo no sofá. Eu nunca pensei que sentiria tanta dor. Eu li este artigo e descobri que tenho feito essas coisas sem nem perceber, estou cuidando de mim mesma indo à academia e tentando comer, estou tentando me distrair organizando minha festa de aniversário, disse a mim mesma que está tudo bem choro, mas sempre que digo isso para mim mesmo, eu começo a chorar. Meu cachorro era muito amado pelos meus amigos e familiares como eu disse antes, ele era muito protetor comigo e não gostava de estranhos, porém quando ele te conhecesse, ele daria todo o seu amor, ele era tão doce e conhecia 15 truques que ele era tão mart. No dia em que isso aconteceu, minha mãe estava organizando algo grande em nossa casa e muitas pessoas iam comparecer, mas depois do incidente ela teve que cancelar o evento e dar a má notícia. A notícia se espalhou tão rápido que chegou a todos inclusive familiares de outros países, naquele dia recebemos mais ligações do que imaginávamos, apreciei as boas intenções das pessoas porém ainda estava em choque, como se tivesse essa imagem constante na cabeça de meu cachorro morto na minha frente e o sangue em minhas mãos, então minha mãe falou porque eu não conseguia falar. Até agora eu sofro por dentro, antes de ter Bengy eu costumava dizer que sinto esse vazio dentro de mim e muitas vezes culpava meu pai por me deixar, ninguém conseguia preencher esse vazio nem mesmo minha mãe, melhor amigo ou meninos. Até que Bengy fez isso e agora que ele se foi, aquele buraco ficou maior do que nunca, eu me sinto tão vazio. Estou pedindo ajuda porque fiz o seguinte relembrando os momentos felizes, cuidando de mim mesma, me distraindo com educação, trabalho, organização do aniversário, academia, netflix, faço todas essas atividades sem parar, mas não consigo ignorar o fato Eu quero chorar o dia todo. E eu não acho que estou pronto para ter outro cachorro ainda porque eu sei que ninguém seria como o Bengy, eu só vou ficar desapontado e por causa disso eu posso não dar todo o meu amor a outro e eu acho que todo cachorro merece para serem amados por seus donos plenamente. algum conselho sobre o que devo fazer?

Amigo meu melhor amigo em 14 de fevereiro de 2020:

Perdi meu Shih tzu de 13 anos hoje no Dia dos Namorados. Foi totalmente inesperado. Eu ainda não aceitei completamente. Eu sinto-me entorpecido. Ele estava bem a manhã toda, mas no final da tarde ele estava com dificuldade para respirar. Acho que ele parou de respirar no caminho para o pronto-socorro. Eles acham que ele teve insuficiência cardíaca. Eu sei que logo vou perceber que ele realmente se foi. No momento, espero que seja apenas um sonho ruim.

Duna minha linda menina em 28 de janeiro de 2020:

Eu perdi minha cadela vira-lata de 3 anos de idade ontem à noite por envenenamento depois que ela matou um rato há alguns dias. Infelizmente não sabíamos que ela estava doente, pois era o animal de estimação alegre e bem-humorado que sempre fora. Ela costumava dormir apenas na cama ou no meu sofá. Ela era um membro querido da minha família e nenhum de nós consegue superar o que aconteceu. Ela estava fraca e não conseguia se levantar por 2 horas, então faleceu. Ela estava com minha irmã e meus pais e quando cheguei em casa do trabalho ela abriu os olhos uma última vez, olhou para mim e deu seu último suspiro. Mamãe disse que estava esperando que morrêssemos. Eu não consigo parar de chorar. É tão difícil perder um cachorro ... Ela era minha garotinha. Ela era querida e amada e ela nos amou incondicionalmente ...

Processar em 23 de janeiro de 2020:

Olá, quero agradecer o artigo. Sua história e as da seção de comentários foram mais úteis do que eu pensava ser possível.

Perdi Roscoe hoje cedo e a dor é intensa. Eu não sabia nada sobre amor até que o trouxemos para casa, três anos atrás. Eu não posso acreditar que ele não está aqui comigo agora. Não acredito que não vou mais vê-lo. Ele saiu para passear esta manhã e se soltou da coleira. Não tenho ideia de como, mas ele conseguiu chegar à rodovia onde foi atropelado por 2 carros. Nenhum dos dois parou para ajudá-lo. Um anjo absoluto parou na beira da estrada para ajudá-lo e nos chamou. Ela ficou com ele até chegarmos lá. Infelizmente, chegamos tarde e ele já havia falecido. Eu nunca vou ser capaz de esquecer sua aparência. Não consigo imaginar o quão assustado e magoado ele deve ter se sentido. Eu me pergunto se ele estava pensando em nós em seus últimos momentos. Minha família inteira está absolutamente devastada e não tenho certeza de como vamos nos recuperar disso. A culpa que sentimos é imensa. A rapidez com que morreu torna isso ainda mais terrível. Nós nem conseguimos dizer adeus. Eu gostaria que ele pudesse ter sentido o quanto foi amado pela última vez. Eu gostaria de ter me desculpado antes de ele ir embora. Ele era a luz de nossas vidas. Tudo parece sombrio sem ele.

Sam em 03 de janeiro de 2020:

Preciso de apoio porque estou totalmente perdido e quebrado ... e sinto muito pela longa postagem.

Ontem foi de longe o pior dia da minha vida ... minha doce menina Missy faleceu inesperadamente hoje e eu não posso nem descrever para você a dor que estou sentindo. Nunca me senti tão horrível em minha vida. Acho que nunca realmente conheci a dor e a dor no coração até hoje. Deixe-me contar o que aconteceu ....

Missy é ... era uma mistura de husky / alemão Shepard de 10 anos. Eu a ganhei no meu aniversário de 21 anos, quando ela tinha 5/6 semanas de idade. Ela fez xixi em mim no minuto em que a senhora a colocou no meu colo. Eu sabia que ela foi feita para mim. Ela foi minha primeira cadela que não era da família.

Foi diferente de qualquer outro dia em nossa casa. Meu amigo se aproximou e ficamos brincando com Missy por alguns minutos antes de levá-la para um passeio. Cerca de 10/15 minutos de caminhada, passamos por um dos sobrados na esquina do meu complexo, eles têm 2 cachorros que latem para todos que passam e Missy late de volta, abanando o rabo e pulando. Caminhamos mais alguns passos e eu a senti parar, percebi que ela tinha que fazer xixi, então eu me virei e ela desceu na parte de trás e teve dificuldade em puxá-la de volta, então eu vou e quando estou prestes a ajudar pick her back end up she collapses and starts to have a seizure, I am a vet tech so I know how to handle this, I hold her and make sure she doesn't hit her head and talk gently to her trying to hold back the tears.... she has never had seizures and has been an extremely healthy dog. She starts to come out of the seizure which lasted what seemed like forever, and she’s screaming crying which I have seen multiple times when a dog comes out of a seizure. I holding her and talking to her. Then, my world came crashing down around me, she stops breathing, I immediately start CPR and begging her to stay with me.... by this time my friend has ran to get my car so we can get her to the vet. I knew it was to late. We get her in the car and I’m in the backseat with her doing CPR and praying for a miracle. We get to the vet and I could not feel a heartbeat. I tell them through my tears to check for a heart beat and if there isn’t one to not continue CPR. She was gone. My sweet girl was gone in the matter of minutes. Since this happened, I have been racking my brain trying to see if I missed something.... how was she acting for the last few days? Fine... eating, drinking and playing. My baby girl is gone. What do I do now? Everytime I have hurt I have sat on the floor and let her lick my tears away.... what do I do now? What do I do without her? She has been my rock through my adult life. How do i even begin to process this? I’m so broken and lost. There are no words for what I am feeling right now..... please tell me I will wake up from this nightmare.

Thank you for reading.

Hug your babies a little tighter tonight....

my heart hurts on December 17, 2019:

I can't stop crying, Zoe was with me everyday for almost 14 years.. This pain is unbearable at times She was smart and beautiful and so very loyal. I miss you Zoe and will love you forever. You will never be forgotten.

My heart hurts em 13 de dezembro de 2019:

Zoe died last night. I will niss her forever. She was such a good girl. And my best friend.

Anna Casamento Arrigo on October 10, 2019:

I lost my first very best friend when I was 14. She escaped her leash and ran under an oncoming taxi. I,for so very very long felt such an enormous guilt and it took over 10 years before I was able to Welcome another beautiful being into my life. That loss, however, remains to this day,and while I try to live in my Julie’s happy times with me,ei image of her after being trampled and crushed under the wheels of that taxi,have never left. I managed to grieve the passing of four other fur babies, but, my Jager has become an incredible emotionally charged roller coaster ride of emotions. I value this article because,of, I have learned something that may help me grieve as I need to do,but,most importantly, to use/anticipate/plan for those triggers! This is such a wonderful piece on steps we can take and understanding our pain,but moreover, doing something that will help alleviate some of it. Obrigado!

(I do have my 13+,Leila, a shih tzu, who had shown signs of her grief: hiding,refusing food,sleeping most of the day,and refusing to be touched. She’s doing better. But, I can definitely feel her change and grief as well. They’d been together over 9 years.)

Mariko on September 21, 2019:

I look my pet less than a week ago. I felt guilty and resentful. We never spent much time together. I felt we should have been together longer. The memories were too few. It was my birthday wish for him to survive and live longer but my prayer wasn't favored. He died few days before I celebrate my birthday or not. This was the most saddest birthday of my life. I still can't cope with his loss. He was the most special among all my dogs.

Vincenzo on September 03, 2019:

I lost my beloved Joey yesterday on September 2nd. It devasted me. She was 14 years old and had a good life, I am sure of it, but still can't believe I won't be able to see her again when I'll be back to my hometown for Christmas. She was brave enough to wait for summer to end to allow my brother and me to see her in our small hometown one last time (because of our jobs we don't live there and Joey stayed with my mother). We got her when I was 14, because my brother always wanted a beagle. My mother at first was contrary, but when she first hold a three months old Joey in her hand it was just love. For the following 5 years she's been the first and last face I'd see every day. After that I started university and left town. I would see her only during holidays, but I would always-always talk about her to everyone I met. I was so happy to have her in my life. I loved her with all my heart. It would not matter the distance and the time apart, as soon as she saw us again, she would start to wag its tail and jump all over us. She also loved to eat, and would do anything for a bite, even jump on the table to steal a slice of ham. She used to sit next to us when eating at the table and wait for anyone to give her something. She was lovely. She also loved to have a stroll or swim in the sea. She loved to lay in the sun and to play with every kind of toys when younger. She loved fresh bread (she could smell it everywhere) and to be petted under her big ears. I loved to just give her infinite kisses and lay next to her to the ground and sleep together next to each other. I would also try to annoy her by blowing wind on her face, or trying to block her way to the kitchen so she would had to find a way to go past my legs. We had so much fun together. And she was so loved, I can't be more grateful for all the love she received. All of my friends would come over to see her (even take her out if I was out of town) and send me pictures of her if not there. She loved my mother, who's always been with her and cooked for her a numberless times. She loved my brother for the long walks. She loved my father as well, which doesn't live with us but used to come over often to take her out (she would recognize the way he buzzed and get instantly excited, cuz she knew she was soon going to go out). Hope she loved me as well, I did my best to show her I much I cared about her. She's just been the best companion I could have asked for, my best friend. She would always be there for me, no matter what, and I am going to deeply miss her. She's been with me half of my life and she was just so important to me. I want to believe she had a good life, full of good food and people who loved her (she was famous in all Italy thanks to all of the stories me and my brother would tell anyone). I will miss you Joey, thank you for being the best friend I could have asked for and for having made these years unforgettable. Thanks for keeping my mother company when we weren't there and thanks for the memories and the good times. I will never forget the way you barked when asking for food or the smell of your fur when i kissed you. Hope you are in a better place, full of food and friends. Please watch over us. Love you immensely forever.

Marcela on August 17, 2019:

I lost my best friend a month and half ago. My sweet Brucey. She made me unbelievably happy. I feel like my heart stopped beating since she died. It still feels surreal. I wake up expecting to see her everyday; then reality sets in, it’s pure torture. She was diagnosed with a rare neuromuscular disease. A month after diagnosis she was gone. She was in my arms when she took her last breath. Regret and guilt are a constant in my mind. Brucey was my other self. I am eternally grateful for all the love, loyalty and unmatched companionship she unselfishly provided for ten years. I will love you until my last breath dear Brucey. Forever my faithful.

Sebastian on July 02, 2019:

I lost my dog named Oreo 3 years ago. He was only 2 or 3 years old when he passed. I dropped a slice of cheese, and me being the lazy good for nothing that I am, went to do something before picking it up. I forgot about it, and started playing some video game. I looked next to me and there he was dead on the legs of the chair. I called it out to my parents, I was in denial so it sounded like a joke. They didn't believe it until they went downstairs. We drove the body to an animal hospital, they basically said "this right here is a dead dog." They chose the cheapest option, dumping ashes in the mountains. Their excuse was, I think he would have liked that...BS. I didn't feel emotion. I was numb. Now, whenever I think of my old dog, I get a mental image of my new one being dead next to the chair. If I didn't drop that piece of cheese, maybe I would still be somewhat sane.

Sheila on June 24, 2019:

I lost my best friend of 14 years last night. My life feels empty without him. He was always following me around the house when i was cleaning or whatever. My life will never be the same. His name was Kip, he was a Pembroke Welsh Corgi, the bestest friend I've ever had and was very much loved.

Ruthie on May 11, 2019:

My Pixie died 4 days ago. She had a bowel obstruction and died of surgery complications. I took her to the vet every day for close to 10 days and they were unable to save her. I feel guilty that if I had taken her somewhere else she would have survived; that maybe a better skilled doctor would have saved her. How do I stop blaming myself? She was hurting.... I sang and held her telling her it was going to be ok. I feel the vet failed me and I failed her. My heart is broken. How long does it takes to start feeling better.

Anon on April 13, 2019:

I just lost my senior dog yesterday (April 12th 2019) which i had for 13 of my 21 years on this earth. I had a very rough childhood and she was there for me in ways nobody else could. I still have problems with depression and anxiety and i catch myself just about to call her name so she'd come over for comfort but then i realize ''Oh.. Right..''

I've recently lost relatives too but that pain doesn't even come close to this. I've lost my best friend in the whole world.

Al em 11 de abril de 2019:

I lost my dog Luca on Monday he died next to me. I miss him so much. He was the most incredible dog. I can’t seem to stop crying over his loss.

Karen on February 04, 2019:

My beloved baby, Daniel died today. He was only 7 yo and had been the love of our lives. I felt grief and guilt that I was not able to give him the best life he could have, that I was not able to spend enough time with him and denied playing with him whenever he's so excited about it. I am so devastated that I got to spend only the last day with him. I nursed him the whole day and when I put him down because I need to take a bath- that was when he left :( He didn't even said goodbye to me. My baby, still outsmarted me despite the pain he's been feeling due to kidney failure. I love you so much, Daniel. I know my words don't mean a thing anymore but I can't let go. I wish I had done more.. I am sorry I was not good enough. :'(

Deric em 18 de janeiro de 2019:

Brenda that’s so sad I’m literally in tears.I hope things get better for you.I miss my lil guy so much.I still talk to him at his grave.Losing an animal is like losing a loved one.I pray everyone on here is ok and in good spirits.Itbtruly does hurt.

Brenda em 3 de janeiro de 2019:

At 3:53 am on 1/1/19 I lost my best friend Ally. Buddy and I were by her side when it happened and I am forever thankful that we were there for her in her last moment. She was the first and last person I kissed and hugged during the work week and now she's not there. I no longer see here peeking out the window waiting for me as I pull up. The ottoman she used to jump on to get on the bed is still there, her food bowl still has the last vitamin she left behind from that night's dinner. In the mornings I still walk to the pantry to get her medication out but then I remember she's not here so I put the medication back. It's unfair that they are only here for such a short amount of time and I hope that she knew how much I loved her.

Deric on December 29, 2018:

My teacup Yorkie Gizmo died today.It is so hard.I love and miss him so much.I can still hear his little footsteps in the hallway.

E on December 27, 2018:

My dog died today im really sad

Piedmontatl em 22 de outubro de 2018:

My dog died two weeks ago today. I miss Jazz so much, my constant companion throughout the day. Just feel so lost.

Anna Casamento Arrigo on September 16, 2018:

My Julie got off her leash and was hit by a car. Her hip bone ripped out of its socket and tore through her skin. She had several surgeries but infection set in. She stopped walking altogether,eating, and, I swear, she had constant tears in her eyes. We had to let her go. The guilt was immense. It took me over 20+years before I became a dog mommy again!

DG Lamb on August 20, 2018:

Very helpful article Leonard. Important information to share.

Haley Belinda em 20 de julho de 2018:

Excellent guidance, I too dreading the loss of my beloved pet of 12 years. As an ex- nurse, I studied the work of Dr Kubler Ross. It is an excellent model for loss of any kind. Thank you for your open expression, I believe it will help a lot of people.

Julia Schmeelk em 20 de julho de 2018:

Ótima informação. My beloved dog is near the end of his life and we, my husband and I are dreading the loss.

Sharon K. Connell em 20 de julho de 2018:

Thanks for this article, Leonard. It's very important. I wrote an article on my blog when I lost each of my beloved furbabies. It helped a lot.

Peggy Woods from Houston, Texas on November 17, 2017:

You have certainly shared the grief you felt upon the loss of your dear Pepper. Those of us who love our pets never forget them. They are a part of our lives and will remain so in our memories as long as we live.


How the Loss of a Pet Affects Your Other Pets

It goes without saying that the loss of a pet comes as a hard blow to you and your family. But what about the non-human members of your family? It's well-documented that animals are capable of experiencing grief and loss, so it should come as no surprise that the death of a pet has an impact on the remaining animals in your household. Keep reading to learn how you can help your grieving pets in the event that your family is faced with such a loss.


Why We Need to Take Pet Loss Seriously

How to handle grief after a pet’s death—and why we all need to change our attitudes about it

"data-newsletterpromo_article-image="https://static.scientificamerican.com/sciam/cache/file/CF54EB21-65FD-4978-9EEF80245C772996_source.jpg"data-newsletterpromo_article-button-text="Sign Up"data-newsletterpromo_article-button-link="https://www.scientificamerican.com/page/newsletter-sign-up/?origincode=2018_sciam_ArticlePromo_NewsletterSignUp"name="articleBody" itemprop="articleBody">

Doug’s amateur soccer team had just lost its playoff game, and Doug needed a pick-me-up. He decided to stop by the local animal shelter on his way home because puppies always put a smile on his face. He was by no means looking to adopt an animal, but Delia, a five-month-old mutt, changed his mind. “I had her for 17 years,” Doug said, wiping away tears in our psychotherapy session. “I knew it would be rough when she died, but I had no idea. I was a total wreck. I cried for days. I couldn’t get any work done. And worst of all, I was too embarrassed about it to tell anyone. I spent days at work crying in private and muttering ‘allergies’ whenever someone glanced at my puffy eyes.”

Losing a beloved pet is often an emotionally devastating experience. Yet as a society, we do not recognize how painful pet loss can be and how much it can impair our emotional and physical health. Symptoms of acute grief after the loss of a pet can last from one to two months, with symptoms of grief persisting up to a full year (on average). O New England Journal of Medicine reported in October 2017 that after her dog died, a woman experienced “broken heart syndrome”—a condition in which the response to grief is so severe the person exhibits symptoms that mimic a heart attack, including elevated hormone levels that can be 30 times greater than normal.

Although grief over the loss of a cherished pet may be as intense and even as lengthy as when a significant person in our life dies, our process of mourning is quite different. Many of the societal mechanisms of social and community support are absent when a pet dies. Few of us ask our employers for time off to grieve a beloved cat or dog because we fear doing so would paint us as overly sentimental, lacking in maturity or emotionally weak. Studies have found that social support is a crucial ingredient in recovering from grief of all kinds. Thus, we are not only robbed of invaluable support systems when our pet dies, but our own perceptions of our emotional responses are likely to add an extra layer of distress. We may feel embarrassed and even ashamed about the severity of the heartbreak we feel and, consequently, hesitate to disclose our feelings to our loved ones. That additional shame complicates the process of recovery by making it more lengthy and complex than it should be.

Losing a pet can leave significant voids in our life that we need to fill: it can change our daily routines, causing ripple effects that go far beyond the loss of the actual animal. Caring for our pet creates responsibilities and a schedule around which we often craft our days. We get exercise by walking our dog, and we socialize with other owners at the dog runs. We awake early every day to feed our cat (or we are woken by a pet if we forget!), but we get a lot more done because of it.

Losing a pet disrupts these routines. Cats, dogs, horses and other cherished pets provide companionship, reduce loneliness and depression, and can ease anxiety. They support our emotional well-being and imbue our actions with meaning. This is why, in addition to emotional pain, we feel aimless and lost in the days and weeks after our pet dies.

Recovering from pet loss, as in all forms of grief, requires us to recognize these changes and find ways to deal with them. We need to seek social support from people we know will understand and sympathize with our emotions and not judge us for them. Many animal clinics offer bereavement groups for pet owners.

We might need to reorganize our routines and daily activities so we do not lose the secondary benefits we derived from having our pet. For example, if our exercise came from walking our dog we need to find alternative ways to reach our daily “step goals.” If we spent most Saturday mornings with our fellow pet owners, we need to find other outlets through which we can socialize and enjoy the outdoors.

It is time we gave grieving pet owners the recognition, support and consideration they need. Yes, it is up to us to identify and address our emotional wounds when our pet dies, but the more validation we receive from those around us, the quicker and the more complete our psychological recovery will be.

Are you a scientist who specializes in neuroscience, cognitive science, or psychology? And have you read a recent peer-reviewed paper that you would like to write about? Please send suggestions to Mind Matters editor Gareth Cook. Gareth, a Pulitzer prize-winning journalist, is the series editor of Best American Infographics and can be reached at garethideas AT gmail.com or Twitter @garethideas.

ABOUT THE AUTHOR(S)

Guy Winch

Guy Winch is a psychologist, speaker and author. His new book, How to Fix a Broken Heart (TED Books/Simon & Schuster, 2018), covers both pet loss and romantic heartbreak.


Grief-stricken? How to deal with pet death

Losing a pet is a subject most pet owners never want to think about, but unfortunately must deal with at some point.

I personally had to deal with the loss of two dogs, both more than six years ago. I can honestly say that I have never gotten over it — I've just gotten used to it. Even though one of my beautiful dogs, Shiner, was riddled with cancer, and my other best friend, Hampton, lived to a miraculous 20 years old, there was never a right time to say goodbye.

I feel it is so important to let people who are connected to their beloved pets know that this kind of loss is, in most cases, equal to losing a family member. Because, after all, pets are a part of families, aren't they? There are people out there, like wonderful Dr. Stephanie LaFarge, featured in our segment, who are there for you 24/7 to help you cope with this devastating loss.

For those of you who are going through this now, I hope this story will give you some solace. You are not alone, and it is so important to be able to express your grief for that beloved companion who is gone from your life, but never your heart.

Need some advice on how to cope? The ASPCA, the American Society for the Prevention of Cruelty to Animals, offers answers to commonly asked questions about dealing with the loss of a pet.

What exactly happens when an animal is euthanized?

Your veterinarian has special training to provide your pet with a humane and gentle death. Most often, he or she uses a two-step process. First, the pet is injected with a sedative to make him calm and comfortable. Next, he injects a special medication. These drugs function in such a fashion that the animal experiences no awareness of the end of life. The process is akin to undergoing general anesthesia for a surgical procedure. The process takes about 10 to 20 seconds. The veterinarian then checks to make sure that the animal’s heart has stopped. With this procedure, there is no suffering.

Is there a “right time” to euthanize an animal? And how will I know when that is?

If your animal has episodes of obvious suffering during the day or night, it is appropriate to plan a euthanasia right away. Sometimes an animal will continue to eat or drink in spite of pain, panting or disorientation. If you are not sure how much your pet is suffering, keep a daily record of the good times versus the bad times. Then you can decide when the quality of life is so poor that it is time for you to give him the gift of “good death.” It is important to ask your veterinarian for the exact signs of suffering likely to be associated with the condition or disease that your pet has.

Sometimes people are tempted to delay the moment of euthanasia, because we anticipate our intense grief. Unfortunately, we may regret that we allowed the pet to linger too long.

Is it normal for me to feel so angry/sad/confused after my pet has died?

There are many forms of grief that are completely normal. The most distressing are hallucination-type experiences that leave an impression that you are hearing familiar sounds of your pet walking or calling. Some people even think that they see their pet out of the corner of their eye, especially after just waking up. Often, it is the most responsible owners who feel guilty and confused about the choices they made regarding the end of their pet’s life. Occasionally, a person may feel temporarily angry with their veterinarian or others involved in end-of-life issues. These feelings of anger may be our attempts to distract from the ultimate encounter with the sadness of the loss.

What are some things I can do to work through my grief?

The most important thing is to recognize that the loss of a beloved pet is a serious event that society does not always respect. Your first task is to take care of yourself. Make sure you get the rest and nutrition you need, even when you feel distracted. Your concentration may be impaired, too, so that you need to take extra care with driving and crossing the street. Grief is a normal process, and time really does heal.

Sometimes it helps to create a special place in your home to which you can go when you want to remember your pet. Although remembering may be painful at first, eventually that pain will turn into sweet memories.

How long should we wait until we get another pet for the family?

Even though your house feels very empty, and your young children may be asking for a replacement right away, it is best to wait at least one month before bringing home a new pet.

When you’re ready, you can check out the dogs and cats in your local shelter. If you feel attracted to a new pet, don’t worry that it is a betrayal of the lost animal. Your ability to give a good home to a new pet is really a compliment to your previous relationship.

For more information on pet loss, please visit the ASPCA's Web site.


Assista o vídeo: Psicólogos auxiliam quem precisa lidar com a morte do animal de estimação